terça-feira, 16 de novembro de 2010

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO GALIZA.


ESCOLA MUNICIPAL PEDRO GALIZA




PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO



                                                       SERRINHA 2010      



ESCOLA MUNICIPAL PEDRO GALIZA



PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO

Este projeto, pensado e construído coletivamente, tem o propósito de     orientar nas práxis pedagógicas desenvolvida nesta unidade escolar, no ano letivo de 2010.

  

SERRINHA 2010





   SUMÁRIO



01 - APRESENTAÇÃO ......................................................................... 01        
02 - JUSTIFICATIVA ............................................................................ 02
03 - DIAGNÓSTICOS ANALÍTICOS DA REALIDADE ....................... 03

3.1 - Contextos da realidade
3.2 - Características gerais da escola
3.3 - Dimensões pedagógicas do trabalho desenvolvido pela escola
3.4 - Dimensão política do trabalho desenvolvido pela escola
3.5- Dimensão da gestão de pessoas, de material e patrimônio e administrativo financeiro da escola

04 ­- IDENTIFICAÇÕES DE PROBLEMAS E PRIORIDADES ............. 08
05 - FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .....................................................09
06 - ESTRURURAÇÃO DO CALENDÁRIO ESCOLAR .......................11
07 - OBJETIVOS....................................................................................13
08 - METAS .......................................................................................... 14
09 - RECURSOS .................................................................................. 14
10 - AÇÕES .......................................................................................... 15
11 - ACOMPANHAMENTO ................................................................   16
12 - AVALIAÇÃO ................................................................................  16
13 - CONSIDERAÇÕES FINAIS ...........................................................17
14 - REFERÊNCIAS BIBLIÓGRAFICAS .............................................18

01 - APRESENTAÇÃO

O principal papel da escola é garantir o aprendizado. Nesse processo professores e alunos são protagonistas visando garantir que a equação escola, alunos e professores tenham bons resultados. Sendo assim, a elaboração do Projeto Político Pedagógico traz para a escola momentos de reflexão para definir os rumos pedagógicos a serem seguidos no ano letivo como forma de assegurar a educação como direto. Além disso, é uma forma de focar a política educacional no processo de aprendizagem.
Comungando com este pensamento é que o PPP foi realizado com todos os envolvidos no processo educacional, buscando retratar a realidade da escola, visando à melhoria da qualidade do processo ensino aprendizagem. 
Vale ressaltar que este documento orienta e norteia a escola para os recursos didáticos, o planejamento das unidades a convivência da escola com o ritmo e a dinâmica da aprendizagem dos alunos.
Fica evidenciado neste conjunto de experiências coletivas, o desejo de mudanças no processo ensino-aprendizagem baseado na participação integrada dos alunos, pais e educadores, enfim toda comunidade escolar.
   01

02 - JUSTIFICATIVA

O projeto político pedagógico é o corpo das políticas sociais, que reflete a realidade da região e precisa ser adaptado de acordo com as diferenças socioculturais. Nessa perspectiva, mediante as Diretrizes e a LDB, a Escola Municipal Pedro Galiza desenvolveu seu Projeto Político Pedagógico, com a participação de todos os envolvidos no processo ensino aprendizagem, com o desejo de favorecer uma educação de qualidade.
Neste sentido, obedecendo as normas de Lei de Diretrizes e Base de Educação Nacional que diz: toda instituição de ensino terá a incumbência de elaborar seu Projeto Político Pedagógico, e conhecendo a importância, funções e suas atribuições, percebemos que é indispensável sua utilização no âmbito escolar, pois o mesmo fornece uma identificação e direcionamento, articulando o trabalho da escola de forma viável, que todos possam ver o que fazer para melhorá-la no que for necessário
Segundo, Vasconcellos (2002, pag.169):
“É um processo de Planejamento Participativo, que se aperfeiçoa e se concretiza na caminhada, que define claramente o tipo de ação educativa que se quer realizar. É um importante caminho para a construção da identidade da instituição. É um instrumento teórico-metodológico para a intervenção e mudança da realidade. É um elemento de organização e integração da atividade prática da instituição neste processo de transformação.”

É com esse pensamento, que queremos retratar a identidade através do Projeto Político Pedagógico, visando à melhoria da aprendizagem dos alunos.

02
3 - DIAGNÓSTICOS ANALÍTICOS DA REALIDADE

 3.1 - O contexto da escola

A Escola Municipal Pedro Galiza atende crianças e jovens, filhos de moradores da comunidade, que tem como atividades econômicas principais a agricultura familiar, com o cultivo periódico da terra, e a pecuária, com a criação de animais de pequeno porte. A comunidade tem como fonte de lazer os eventos culturais oferecidos pela escola referente a datas comemorativas, e aos projetos pedagógicos tais como: (Meio Ambiente, São João, Folclore, CAT).
A comunidade é participativa nas questões referente à educação escolar, pois notamos uma parcela considerável de pais ou responsáveis nas reuniões realizadas no final de cada unidade e palestras realizadas durante a execução de projetos, bem como nas festividades comemoradas no espaço escolar. Necessitando de maior participação familiar nas atividades extraclasses.
A comunidade tem algumas necessidades básica tais como: tratamento de lixo, áreas de lazer, atendimento em posto de saúde, água entre outros, para melhor atender a necessidade da população. Não detectamos alunos em faixa etária escolar fora da escola, vale salientar que 11% dos alunos do ensino fundamental I encontram-se em série não equivalente á idade, sendo que os mesmos têm dificuldades em aprendizagem, necessitando assim de um acompanhamento de especialista.


03
  3.2 - Características gerais da escola

A escola Municipal Pedro Galiza situada no Povoado do Saco do Correio, Zona Rural do município de Serrinha a 14 km da sede, administrada pelo município, conforme ato de municipalização. Com 135 alunos classificada como médio porte, conforme Decreto que estabelece a tipologia das escolas municipais de acordo com o número de alunos e turnos de funcionamento. O espaço físico conta com uma área, circundada com muro, conforme metragem em anexo.
Possui quatro salas de aula, uma secretaria, quatro banheiros (sendo dois para os alunos um para os funcionários e um sem condições para funcionamento), uma cozinha, uma biblioteca, uma impressora, uma TV, um mimeógrafo, um armário e uma mesa para o professor em cada sala de aula, uma geladeira, um fogão, dois armários e duas mesas na secretaria. Encontra-se também na escola cinco computadores e uma impressora, porem os mesmos ainda não foram instalados. A escola necessita de reforma principalmente no telhado, banheiros, portão e pintura.
A escola atende turmas do pré à quarta série do ensino fundamental I, sendo que do pré ao 2º ano no turno matutino e 2ª série a 4ª série no turno vespertino. O quadro de funcionários é composto de: seis professores. Cinco efetivos e uma estagiária. Sendo três cursando pedagogia, duas cursando geografia e uma com ensino médio modalidade magistério. O quadro de funcionários administrativo e serviços gerais são compostos por: uma merendeira, uma servente, duas auxiliar de serviços gerais, um porteiro, um vigilante, uma auxiliar administrativo, uma diretora e duas vices-diretoras, sendo que os mesmos trabalham 40horas semanais exceto os vices-diretores estabelecidos carga horária de 20 horas semanais.
A comunidade escolar necessita de uma área adequada para a prática esportiva de lazer, que conta apenas com uma pequena área inadequada para realizações dos eventos pedagógicos aplicados na escola. Utilizando assim um campo fora da unidade escolar sem estrutura, onde os pais não aceitam que os filhos pratiquem
atividades neste local, pois o mesmo está localizado ao lado da BA 040. 
04
Os estudantes pertencem à família de baixa renda, incluso no programa assistencial Bolsa Escola, e por residirem em área rural, para terem acesso à escola necessitam do transporte escolar disponibilizado pela secretaria de educação.
Esta unidade não possui Conselho Escolar Constituído, Grêmio Estudantil e mantêm- se apenas com recursos do PDDE (caixa escola).
O ensino fundamental de nove anos regulamentado pela Lei nº 11.274, foi devidamente implantado na escola, a partir de 2009.

3.3 - Dimensão pedagógica do trabalho desenvolvido pela escola

A escola ainda não possui PPP (Projeto Político Pedagógico), pois o mesmo encontra em processo de elaboração. Terá a contribuição de representantes dos diversos segmentos da comunidade escolar: pais, professores, gestores e comunidade, esta última, essencial neste processo de construção ao expor seus anseios e expectativas quanto ao papel da escola e quais reais necessidades locais.
A escola realiza ações com vistas á melhoria do currículo freqüentemente criando novos projetos voltados para realidade da comunidade, desenvolvendo assim ações com o objetivo de melhorar aprendizagem dos alunos, conscientizados o quanto é importante e essencial a busca constante do conhecimento.
Os parâmetros de avaliação da aprendizagem são elaborados pela própria instituição, através de instrumentos diversificados como trabalhos individuais em grupo, pesquisa extraclasse atividades escritas. O diário de classe é o instrumento utilizado pelos educadores para registrar suas atividades e as necessidades quanto ao acompanhamento e avaliação dos estudantes.
No que se referem às disciplinas chamadas criticas, português e matemática, a metodologia aplicada pela escola em parceria à secretaria de educação leva em consideração a necessidade de formação continuada, através de cursos e oficinas
05
oferecidos pela secretaria como suporte pedagógicos aos docentes, primando sempre por uma atuação mediadora e dinâmica facilitadora do aprendizado do aluno.


3.4- A dimensão política do trabalho desenvolvido pela escola

A escola conta com parceria da secretaria de Educação que vem realizando projetos pedagógicos com foco no processo ensino-aprendizagem.
A comunidade conta com a parceria da escola para que seus filhos consigam desenvolver uma boa aprendizagem tornando assim um bom cidadão. Pois é nela que eles aprendem e se desenvolvem com vistas a um futuro melhor.

3.5- A dimensão da gestão de pessoas, de material e patrimônio e administrativo-financeiro da escola

A Escola municipal Pedro Galiza, tem recurso financeiro o PDDE e suporte da Secretaria de Educação.
A Gestora procurar administrar os materiais (consumo e permanente) ao longo do ano com equilíbrio, distribuindo os materiais por unidade e conforme os projetos elaborados pelo grupo com antecedência de acordo a necessidade de cada um. O Professor tem autonomia no momento do processo de planejamento de suas aulas, tomando como base o referencial pedagógico e as orientações da coordenadora pedagógica da secretaria em conjunto com gestão da escola. O acompanhamento e avaliação das atividades desenvolvidas na escola são feitos pelo professor e analisado em grupo, pela direção e coordenação pedagógica.
A relação interpessoal é satisfatória. Todos estão envolvidos no processo ensino aprendizagem

06

Metragem da área escolar

Largura
Comprimento
Portão
1,8
1,8
Escola
12,3
47
Muro
32,2
2,0
Secretaria
3,6
6,6
Biblioteca
5,9
4,8
Sala 01
4,4
8,1
Sala 02
4,3
8,0
Sala 03
4,4
9,7
Sala 04
4,5
8,0
Cozinha
3,1
4,5
Banheiros
1,0
1,7

04 – IDENTIFICAÇÃO DE PROBLEMAS E PRIORIDADES




PROBLEMAS



PRIORIDADES



 Espaço físico


1°- Reforma nos telhados e pintura;

2°- Reforma nos banheiros;

3°- Instalação do infocentro;

4°- Construção de quadra esportiva;





 Alto índice de reprovação e indisciplina dos alunos






 Acompanhamento do psicopedagogo para analisar baixo desempenho;







Falta de funcionários






Professor para as turmas de pré I e II concursados ou efetivos.


08
05 – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

 Considerando o Projeto Político Pedagógico essencial para o bom funcionamento da escola, faremos uma abordagem teórica para fundamentar a importância do projeto, que visa favorecer aprendizagem significativa dos envolvidos no processo educacional.
 O Projeto Político Pedagógico é antes de tudo a expressão de autonomia da escola no sentido de formular e executar sua proposta de trabalho. É um documento juridicamente reconhecido, que norteia e encaminha as atividades desenvolvidas no espaço escolar e tem como objetivo central sanar problemas relacionados a aprendizagens dos alunos considerando que a mesma acontece na interação com a comunidade.
Esse projeto está voltado diretamente para o que a escola tem de mais importante “o educando” e para aquilo que os educandos e toda a comunidade esperam da escola: uma boa aprendizagem.
O Projeto Político Pedagógico é um caminho traçado coletivamente, o qual se deseja alcançar um determinado objetivo.  Deste modo, ele deve existir antes de tudo porque se define como ação que é anteriormente pensada, idealizada.
É um processo inacabado, portanto contínuo, que vai se construindo ao longo do percurso educacional.
O projeto é político por estar incorporado num espaço de sucessivas discussões e decisões, pois o exercício de nossas ações está sempre permeado de relações que envolvem debates, sugestões, opiniões, sejam elas contra ou a favor. A participação de todos os envolvidos no Projeto Político Pedagógico da escola, as resistências, os conflitos, as divergências são atos extremamente políticos. Logo, concordamos com Aristóteles, quando afirma que “todo ato humano é um ato político”.
O projeto é pedagógico por implicar em situações específicas do campo educacional, por tratar de questões referentes à prática docente, do ensino-aprendizagem, da atuação e participação dos pais nesse contexto educativo, enfim, de todas as ações que expressam o compromisso com a melhoria da qualidade do
ensino.
09
Tendo em vista, que a educação é o alicerce do crescimento e do desenvolvimento social e político do indivíduo, formando pessoas capazes de interpretar e analisar situações cotidianas, com o objetivo de formar cidadãos críticos, participativos, ativos e preparados para atuar de maneira satisfatória na transformação da realidade local.
A escola enquanto instituição de educação tem o papel de buscar a formação do ser humano a partir do aprender a aprende através de valores como: respeito, solidariedade, compromisso, disciplina e coletividade. Desta forma, a escola fornece conhecimentos indispensáveis para que as pessoas possam viver de maneira digna na sociedade atual.
A aprendizagem é percebida na ação do aluno a partir da interação entre aluno-professor e comunidade escolar; revelada nas atividades trabalhadas em sala de aula e pesquisas de campo, bem como as estratégias utilizadas pelo professor , a fim de que o aluno possa assimilar e desenvolver novos conhecimentos. 
A escola entende que a avaliação deve ser processual e contínua, observando e registrando os indicadores que norteiam o desenvolvimento das competências dos alunos no decorrer da execução das atividades, levando em consideração a disposição que cada educando tem para aprender. São realizados trabalhos individuais e em grupos, seminários, testes e pesquisas, para obtenção de notas quantitativas e qualitativas. Pois, a avaliação é vista como um processo dinâmico sendo um instrumento que serve para repensar e reformular os métodos, e procedimentos de ensino, para que o aluno realmente aprenda. Segundo os PCN (1997):

 A avaliação subsidia o professor como elementos para a reflexão contínua sobre a prática, sobre a criação de novos instrumentos de trabalho e a retomada de aspectos que devem ser vistos, ajustados ou reconhecidos como adequados para o processo de aprendizagem individual ou de todo grupo. Para o aluno, é o instrumento de tomada de consciência de suas conquistas, dificuldades e possibilidades para reorganização de seu investimento na tarefa de aprender. Para a escola, possibilita definir prioridades e localizar quais aspectos das ações educacionais demandam maior apoio. (PCN, 1997. p. 55). 

Assim, a avaliação está presente em todas as etapas de ensino-aprendizagem e não
pode ser uma prática excludente, o professor reconhece que é preciso avaliar a
10
aprendizagem dos alunos com diferentes finalidades, bem como na identificação dos
conhecimentos prévios dos educandos e avanços, sempre encorajando-os a continuar construindo saberes nas diferentes áreas do conhecimento e desenvolvendo capacidades.
Na sociedade atual, são exigidos de cada indivíduo habilidades que permitem a ele a interpretar e analisar de maneira crítica as informações que são veiculadas cada vez maiores em nossa sociedade.
Viver em sociedade respeitando ás diferenças é incluir. A nossa perspectiva é de construção de uma nova escola, uma escola inclusiva que se constitua em uma escola para todos, que rompa com a realidade de exclusão a favor de uma escola aberta aos diferentes modos de ser e aprender dos diferentes sujeitos. O desafio é a construção de uma escola organizada para atender as demandas postas por estas diferenças.



06 – ESTRUTURAÇÃO DO CALENDÁRIO ESCOLAR

 A legislação de ensino estabelece em seus dispositivos que:

        Art. 23. O calendário escolar deverá adequar-se às peculiaridades locais, inclusive climáticas e econômicas, a critério do respectivo sistema de ensino, sem com isso reduzir o número de horas letivas previsto nesta Lei.
Art. 24.  A carga horária mínima anual será de oitocentas horas, distribuídas por um mínimo de duzentos dias de efetivo trabalho escolar, excluído o tempo reservado aos exames finais, quando houver.

11

CALENDÁRIO LETIVO 2010

Programação
Período
Quant. De Dias
Jornada Pedagógica
17, 18, e 19/ 02
03 dias
Inicio Do Ano Letivo
01/ 03/ 2010

1ª Unidade Didática
De 01/ 03 a 08/ 05
51 dias
Recesso Junino
De 23/ 06 a 04/ 07
12 dias
2ª Unidade Didática
De 10/ 05 a 24/ 07
49 dias
3ª Unidade Didática
De 27/ 07 a 30/ 09
49 dias
4ª Unidade Didática
De 01/ 10 a 17/ 12
51 dias
Término do Ano Letivo
17/ 12/ 2010
Soma dos Dias Letivos 200
Período de Aula de Recuperação
20, 21 e 22/ 12/ 2010
03 dias
Conselho de Classe
28/ 12/ 2010

Resultado Final
29/ 12/ 2010


Dias Letivos

Mês
Nº DE DIAS
SÁBADOS
FERIADOS E PONTOS FACULTATIVOS
FEV
05
xxxxxx
De 12 a 16 Carnaval
MAR
23
06 e 20

ABR
19
10
01 Ponto Facultativo, 02 Paixão de Cristo, 21 Tiradentes.
MAI
21
08 e 22
01 Dia Mundial do Trabalhador
JUN
14
19
03 corpus Christi, 04 Ponto Facultativo, 13 Aniversario de Serrinha, 24 são João.
JUL
19
10 e 24
02 Independência da Bahia, 26 Padroeira da Cidade.
AGO
25
07, 14 e 21
11 Dia do Estudante.
SET
20
18
06 Ponto Facultativo, 07 Independência do Brasil, Dia da Cultura Evangélica
OUT
18
02
11 Antecipação do Feriado do Dia do Professor, 12 Nossa Senhora Aparecida, 28 Funcionário Público.
NOV
19
xxxxxx
01 Ponto Facultativo, 02 Finados, 15 Proclamação da Republica, 20 Consciência Negra.
DEZ
13
xxxxxx
25 Natal
TOTAL
190
11



12
07 – OBJETIVOS

 7. 1 – Geral

Viabilizar a relação entre comunidade, escola e pais de alunos, promovendo a participação e integração dos mesmos no processo educativo, coletivando metas, ações e decisões que favoreçam uma aprendizagem significativa.

 7.2- Específicos

 1-     Estimular envolvimento de toda comunidade escolar para intensificar as ações do projeto Político Pedagógico (PPP), bem como a participação em reuniões, datas comemorativas e eventos para que venha fortalecer a organização da práxis pedagógica.   
  
2-    Desenvolver autonomia dos alunos para participação nos trabalhos em grupo e individual, tendo como ponto de partida as experiências e vivencias do cotidiano;

 3-    Focar o trabalho pedagógico no desenvolvimento de competências e habilidades, a fim de formar estudantes críticos e reflexivos.

 4-    Valorizar o profissional da educação representado pelo desempenho no seu trabalho, dedicação, assiduidade, pontualidade e responsabilidade.

 5-    Investir na gestão participativa, incentivando a cultura local, motivando a participação de todos, criando oportunidades para que os professores desenvolvam os projetos. (CAT, Meio Ambiente, Datas Comemorativas).
13
08 – METAS

1 – Envolver os pais nas atividades realizadas na escola;
2 – Realizar atividades contextualizadas onde o aluno possa demonstrar suas experiências de vida.

 3 – Receber todos os planos de unidade elaborados pelos professores no início de cada unidade.
 4 – Instigar os professores a trabalharem com planejamento de aulas organizado, observando o desempenho dos alunos, o que precisam conhecer e saber fazer ao logo do processo.   
 5 – Ampliar e facilitar o acesso de 100% dos alunos aos recursos didáticos disponíveis, principalmente livros, jornais, revistas, aparelhos de som/imagem, dentre outros, pois todo dia é dia de ler e escrever; 

09 – RECURSOS

01 – Livros didáticos e literários;
02 – Jornais e revistas;
03 – Aparelho de som;
04 – TV;
05 – Calculadoras;
06 – Jogos;
07 – Sutas;
08 – DVD E fitas;                                      
09 – Mimeografo;
10 – Materiais diversos (papel, cola, lápis de cor, hidrocor, régua, stencil, álcool, caneta, piloto, tesoura. Entre outros).
   14
10 – AÇÕES

1 – Realizar reunião com pais e professores para conscientização da necessidade do trabalho feito na escola e em casa;

2 – Organizar grupos de trabalhos para elaborar estratégias de leitura produção de textos;

3 – Desenvolver projeto de leitura e escrita atendendo a todos os alunos da escola;

4 – Avaliar os alunos em todos os níveis de acordo com os objetivos de ensino;

5 – Analisar os planos de unidade elaborados pelos professores e informar os possíveis ajustes em reuniões;

6 – Fazer cronograma para requisitar recursos didáticos disponíveis na escola;


7 – Utilizar recursos e matérias interativos diversificados, para dinamizar a aprendizagem.

11 – ACOMPANHAMENTO

O acompanhamento deste projeto será realizado pela direção, coordenação pedagógica, professores, alunos e pais, a fim de que possamos obter resultados significativos.  Esse acompanhamento deverá ocorrer durante todo o ano letivo através de reuniões com todos os envolvidos neste processo.
Para isso faremos discussões a respeito de como estão sendo realizadas as ações e práticas citadas no PPP, a fim de reprograma-lás se houver necessidade.


12 – AVALIAÇÃO

Vale ressaltar que a elaboração deste projeto foi feita coletivamente e deverá ser avaliada (semestral, anual, bianual) por todas as pessoas envolvidas nesta construção buscando tomadas de decisões, a fim de rever e aperfeiçoar o Projeto Político Pedagógico da escola, promovendo a melhoria da qualidade, pertinência e relevância das atividades desenvolvidas na área pedagógica e na administrativa. 
16

13 - CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Escola que assumimos é um espaço no qual as pessoas podem dialogar, pensar, duvidar, discutir, questionar e compartilhar saberes, onde há lugar para criar, colaborar, discordar e transformar. Uma Escola autônoma onde todos os envolvidos possam: pensar, refletir e avaliar o processo de construção do conhecimento, que não deve ser tratado de forma dogmática e esvaziado de significado.
O Projeto Político Pedagógico representa um desafio no cotidiano da nossa Escola que buscam efetivamente uma educação alicerçada nos valores.
17
14 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

BEYER, Hugo Otto. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2005 

MODULO III, Programa da capacitação a Distância para Gestores Escolares – progestão.


VASCONCELLOS, Celso S. Planejamento: projeto de ensino aprendizagem e político-pedagógico. São Paulo: Libertad, 2002.

LDB, Lei de Diretrizes e base da Educação Nacional. Capitulo II, Artigo 23 e 24. lei 9394/2006.  

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental, Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN, 1997. p. 55).  


18

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário